Presentes de Natal caseiros: misturas de chá / DIY Christmas gifts: tea blends

(for the English version please scroll down)

O Natal e as filas intermináveis dos centros comerciais, o Natal e o quase wrestling por um último produto na prateleira da loja, o Natal e a correria de última moda porque falta o presente para a tia, o Natal e o escolher qualquer coisa embrulhável só porque se perdeu a inspiração, o Natal e chegar ao jantar de dia 24 já fartíssimo do Natal…. Hã?! Como?! Não…. Algo de muito mau se deve ter passado para a ideia de Natal ter acabado por se tornar em alguma coisa remotamente parecida com o descrito. Voltemos ao básico.

Independentemente de crenças religiosas é difícil negar que o Natal é uma festa para celebrar a família. A família na qual nascemos, a família que nasceu de nós, e a família que construímos com todos os amigos que ganharam um cantinho nos nossos corações (deixem lá passar o tom lamechas que é Natal). Se permitirmos que este espírito da celebração nos invada será fácil ver como isso se vai repercutir na relação com os outros, no cuidado extra ao dizer um “bom dia e bom Natal” a quem nos cruzamos no dia-a-dia.

1

E se por artes televisivas, propagandísticas e mercantilistas a ideia de celebração, nesta época, se tornou indissociável da ideia de presentes, que tal oferecermos um pouco mais? Que tal oferecermos tempo? O nosso tempo, aquele tempo que não é muito e que só cresce sendo dado? E se fizéssemos os nossos presentes? E se incluíssemos a família, as crianças na preparação desses presentes? E se a festa da família começasse logo na preparação daquilo que queremos dar? E já agora, se preferíssemos o pequeno comércio, o comércio de bairro, os pequenos produtores, o comércio justo na hora de adquirimos os materiais ou ingredientes que utilizarmos? Não será este um cenário mais natalício que o primeiro?

3

Já há alguns anos que faço os meus próprios presentes, bolachas, doces ou compotas têm sido as minhas escolhas mais recorrentes. Este ano tive umas ideias diferentes e que vou partilhar aqui convosco. A primeira é a de fazer misturas de chá. A ideia surgiu do facto de ser mesmo isso que costumo fazer para mim. Tenho por casa uma série de ervas, especiarias, chá preto, verde, vermelho, etc., que vou misturando conforme os apetecimentos ou necessidades. Além disso quando vamos comprar uma mistura de chá mais gourmet normalmente o preço não é o mais convidativo, mas ao comprarmos os ingredientes soltos acaba por ficar mais em conta, para além de ser bem divertido de fazer.

E é claro que também há vantagens do ponto de vista da saúde porque estudos recentes têm vindo a demonstrar o lado feio das grandes marcas de chá, como a Lipton, Tetley ou Twinnings. Estudos independentes mostraram percentagens de pesticidas presentes nos chás destas e outras marcas, muito acima daquilo permitido por lei. Não só isso como também contém alguns aditivos pouco claros, basta ler os rótulos. Sabem o que as marcas querem dizer por “aroma natural de qualquer coisa” ou mesmo “outros aromas”? Pois eu também não. Agora, se formos nós a aromatizar, aí sabemos a 100% aquilo que estamos a consumir. Entre “aroma natural de canela” e pau de canela qual vos parece mais natural?

4

Além disso a vossa cozinha ou sala vai parecer um gabinete de alquimia e poções mágicas! Vão à vossa loja de produtos naturais mais próxima, a uma mercearia biológica, mercado tradicional e venham de lá com uma série de ingredientes capazes de criar as mais deliciosas poções.

Não poderia de deixar de dar umas dicas, claro:

  1. Antes de oferecerem provem! Façam uma mini-mistura só para vocês e aproveitem para afinar as proporções.
  2. Se oferecerem as vossas misturas em frascos não se esqueçam de os esterilizar primeiro.
  3. Podem fazer infusões só com ervas aromáticas e aí joguem com as propriedades das mesmas, por exemplo se querem fazer uma infusão calmante utilizem só ervas com essa valência. Se querem uma infusão refrescante utilizem ervas com esse propósito.
  4. Se utilizarem chá como base, seja ele preto, verde, branco ou vermelho (roiboos) o que utilizam para aromatizar não deve ser mais do que 30% da vossa mistura.
  5. Peçam concelhos sobre as ervas e especiarias nos sítios ondes as comprarem. Informem-se sobre os seus atributos, sobre possíveis contra-indicações e até ideias para misturas. Especialmente quando falamos de ervas estas tanto são aromáticas como medicinais por isso convém ler um bocadinho.
  6. Lembrem-se que os chás preto e verde têm teína (cafeína do chá), se quiserem uma base sem teína apostem no roiboos ou no honeybush.
  7. Escrevam as vossas próprias etiquetas com instruções, sejam criativos e divirtam-se!
  8. Aqui ficam algumas sugestões:
  • Chá verde com hortelã e guaraná: refrescante e energizante;
  • Infusão de tília, lavanda e alcaçuz: calmante e apaziguadora;
  • Infusão de lúcia-lima e perpétua-roxa: refrescante e boa para a voz;
  • Chá preto e especiarias (pimenta preta e rosa, estrela de anis, canela e cardamomo): exótico e intenso;
  • Roiboos com flor de laranjeira , canela e alcaçuz: aromático e doce;
  • Infusão de lúcia-lima, hortelã e flor de laranjeira: refrescante e bom para a digestão.

7


 

DIY Christmas gifts: tea blends

Christmas and the endless lines in shopping malls. Christmas and the almost wrestling scene over the last item on the shelf. Christmas and the last minute madness because you forgot your aunt’s gift. Christmas and the grabbing anything wrappable just because you totally lost inspiration. Christmas and sitting down for Christmas eve sick and tired of Christmas. Say what?! No… Something very bad must have happened for the idea of Christmas ending up transformed in anything that even remotely sounds like that.

Despite religious beliefs is hard not to see Christmas as a celebration of family. The family we were born into, the family that was born from us, and the family we build with all the friends that fill our hearts. If we allow this spirit of celebration to invade us it will be easy to see how that will reflect in our relation with others. In that extra care when saying “good morning and a merry Christmas” to everyone that crosses our way.

5

And if due to TV, advertising and the likes, in this time of the year the idea of celebration seems to go hand by hand with the idea of gifts why not giving a little bit more? What about giving time? Our time. Time that is all we have but that grows when being given. What if we make our own gifts? What if we included the family, the kids in making those gifts? What if the family celebration started in the preparation of what we want to give? What if we choose local shops, neighbourhood shops, small producers, fair trade, in the moment of choosing the materials or ingredients we may need? Wouldn’t that be a slightly more Christmassy scenery than the first?

I have been making my own Christmas gifts for a few years now. Cookies, jams, preserves have been my most common choices. This year I had a couple of different ideas that I would love to share with you here. The first one is tea blends. The idea came simply from the fact that I do that for myself. I have in the house a bunch of herbs, spices, black tea, green tea, roiboos, etc, that I mix according to need or want. Besides when we go for a fancy tea blend the price isn’t usually that friendly, but if we buy in bulk and mix it ourselves it ends up being cheaper and a lot more fun too.

And of course there are health advantages as well. Recent studies have been showing the ugly side of the big tea companies like Lipton, Tetley or Twinnings. Independent studies showed large amounts of pesticides in the tea of these and other brands. Not only that but most of them contain some unclear ingredients, simply read the labels. Do you know what they mean by “natural aroma of something” or even “other aromas”? Neither do I. But if we add our own flavors to our tea we know for sure what we’re getting. Between cinnamon natural aroma of a cinnamon stick with one seems more natural to you?

Besides your kitchen or living room will look like an alchemy lab! Go to your local natural produce shop, or an organic grocery, or a traditional market, and come back home with a set of ingredients capable of becoming the most delicious potions.

6

Of course I will give you some tips:

  1. Before giving a blend as a gift taste it! Make a mini-blend just for you and perfect the ratios.
  2. If you give your blends in glass jars don’t forget to sterilize them the first.
  3. You can make blends only with aromatic herbs and play with their properties. For example if you want to make a calming infusion use only herbs with that ability. If you want to make a refreshing and digestive infusion use herbs that have those properties.
  4. If you use tea as a base, black, green, white or red (roiboos), your flavors shouldn’t be more than 30% of your mix.
  5. Ask advice about the herbs and spices where you buy them. Educate yourself on their properties, contraindications or even blend ideas. Do keep in mind that aromatic herbs can also be medicinal herbs so reading a little bit about them is always a good idea.
  6. Remember that black or green tea have caffeine, so if you want a non-caffeine base use a roiboos or honeybush.
  7. Write your own labels with instructions and have fun with it. Be creative!
  8. Here are my suggestions:
  • Green tea with mint and guarana: refreshing and energizing;
  • Infusion of linden, lavender and licorice: calming and settling;
  • Infusion of lemon verbena and globe amaranth: refreshing and good for your voice;
  • Spicy black tea (black pepper corns, pink pepper corns, star anis, cinnamon, cardamom): exotic and intense;
  • Roiboos with orange blossom, cinnamon and licorice: aromatic and sweet;
  • Infusion with lemon verbena, mint and orange blossom: refreshing and good for digestion.
Advertisements

5 thoughts on “Presentes de Natal caseiros: misturas de chá / DIY Christmas gifts: tea blends

  1. oi, eu estou entrando no mundo dos chás agora e me encantando. Eu comprei a granel em um loja que vende ervas e temperos, na feira. Mas tem alguma dica de como saber se a erva doce, por exemplo, está boa? Ou a erva é a mesma?

    Liked by 1 person

    1. Olá Rayssa! Que bom que está a entrar no mundo do chá! As ervas aromáticas costumam ter um prazo de validade alargado, uma boa forma para saber se ainda estão boas é mesmo usando os sentidos. Quando estão boas são muito aromáticas 🙂 em princípio se comprou há pouco tempo estarão boas por mais uns 5 a 6 meses. Espero ter ajudado 🙂

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s