Pão de banana com nozes e mel / Banana bread with walnuts and honey

(for the English version please scroll down)

Há receitas que nascem porque se planeia, outras por acaso e outras ainda porque temos mesmo de usar alguns ingredientes que temos por casa quase a estragar. E a verdade é que de todas estas situações podem nascer pequenas maravilhas de fazer lamber os beiços. Depois de Dezembro o meu mood de pasteleira não estava propriamente ao mais alto nível, mas quando se olha para a fruteira e se repara que há bananas a ficar para lá de maduras soa o sinal de alarme e é preciso ir buscar o caderninho.

Permitam-me que vos fale do caderninho. Desde que comecei o blog que vou anotando todas as ideias culinárias que me passam pela cabeça, todas as receitas bem conseguidas, todos os desastres e todas as que precisam de um assombro de inspiração para melhorar. Claro que a versão final das receitas é escrita no computador, mas não é boa política ter o portátil demasiado perto de comida e líquidos (isto dito por alguém que já perdeu um portátil por afogamento com copo de água…). Então o caderninho é precioso e  tem-me ajudado imenso a não me esquecer de coisas que faço, a experimentar ideias que me surgem sabe-se lá quando e como, a anotar ideias que leio aqui e ali em livros e no mundo virtual. Por isso venho sugerir-vos que adoptem um caderninho para a vossa cozinha, não deixem que uma receita que por acaso vos saiu incrível entre para o mundo das one time wonders.

1

Mas voltando às bananas que isto por vezes vezes a pessoa desvia-se do tema, as palavras são como as cerejas não é?! Bananas híper maduras são fantásticas para cozinhar, óptimas em textura e super doces, ajudam a diminuir a quantidade de açúcar que é preciso juntar a uma receita doce. Uma das melhores alternativas é retirar a casca e congelar, depois podem usar em smothies ou para fazer gelados. Mas quando olhei para a minha fruteira não foi isso que me ocorreu talvez porque nunca fui muito amiga de comidas frias no Inverno. Além disso tenho visto imensas imagens de “banana bread” que em português é possível que mais fosse chamado de bolo do que pão porque em textura e doçura é mais próximo do bolo. E lá ia eu procurar uma receita quando olho para o caderninho e me lembro de uma receita que tinha ficado com a anotação de “melhorar”, eram uns muffins cheios de fruta que tinha feito para o primeiro aniversário da bebé B. E foi essa receita, com algumas alterações, que esteve na base desde pão doce de banana.

2

A farinha que usei aqui é de espelta mas também resulta com farinha de trigo. A espelta aliás é um parente afastado do trigo moderno. É um grão antigo e um dos primeiros a ter sido utilizado no fabrico do pão. É nativo da região do Irão e Europa oriental e do sul e com referências ao seu uso datando de há 7000 anos atrás! No entanto e apesar de ter sido muito utilizado durante séculos caiu em desuso, mas por isso mesmo é um grão muito menos processado e alterado do que o trigo. É uma excelente fonte de vitamina B2, uma boa fonte de manganésio e ainda de niacina, tiamina, e cobre. Mas atenção contém glúten portanto quem sofre de doença celíaca convém não utilizar espelta.

3

Para além da farinha e da banana (ou não seria pão de banana) esta receita utiliza ainda as maravilhosas nozes, uma pêra para dar doçura e textura (podem substituir por uma maçã se não tiverem pêras à mão). Apesar de ser uma receita inspirada nos países anglo-saxónicos o uso do azeite e do mel dão-lhe um toque bem português. E foi muito bem recebido pelos palatos portugueses à minha volta, só vos digo que desapareceu em menos de 48 horas!

8

Ingredientes

  • 180gr de farinha de espelta
  • 2 ovos biológicos
  • 3 bananas grandes e maduras
  • 1 pêra
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 3 colheres de sopa de mel
  • 1 mão cheia de nozes
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 colher de chá de bicarbonato
  • 1 colher de café de baunilha em pó (opcional)

Pré-aqueçam o forno a 180º. Untem e forrem com papel vegetal uma forma de bolo inglês. Descasquem uma das bananas, cortem ao meio e coloquem no fundo da forma (ver foto).

Numa tigela misturem com uma vara de arames os ovos com o azeite. Quando estiver bem homogéneo juntem 2 colheres de sopa de mel, 2 bananas esmagadas e a pêra descascada e ralada.

Noutra tigela coloquem a farinha, a baunilha, o fermento, o bicarbonato e as nozes partidas com as mãos. Misturem com um salazar. Abram um poço no meio e coloquem os ingredientes “molhados”. Incorporem delicadamente com o salazar. Coloquem na forma e levem ao forno por 40 minutos aproximadamente. Façam o teste do palito para ver se já está cozido.

Quando estiver cozido desenformem e deitem por cima 1 colher de mel espalhando bem. Está pronto a servir.


 

Banana bread with walnuts and honey

Some recipes are born because you plan them, others by chance and others because you must use something before it goes bad. And deliciousness can be born equally from all of those situations. After December and the holidays my baking mood was not exactly high but when you spot bananas getting overly ripe the alarm sounds and it’s time for the note book.

7

Let me tell you about the note book. Since I’ve started this blog I have been writing down all culinary ideas that cross my mind, all the successful recipes, all the disasters and all the recipes that need a touch of inspiration to become even better. Of course the final version of all the recipes is written on my laptop, but it is not the best of ideas to have the computer too close to food and liquids (trust me I’ve learned the hard way…drowning your laptop with a glass of water is not something I want to do twice). So the note book is precious and has helped me a lot not forgetting recipes, trying crazy ideas that come to mind whenever, noting down ideas from books or blogs I like. All of this to encourage you to get a cooking note book for yourselves. Don’t let an “accidental” amazing recipe be a onetime wonder. I honestly think a note book can help you to cook better.

But back to the bananas. Overripe bananas are amazing to cook with, great texture, super sweet helping to reduce the amounts of added sugar on sweet treats. One of the best alternatives for when this happens is to peel and freeze the bananas and they’ll be ready to use in smoothies or ice-cream. But when I looked at my fruit platter that was not what I envisioned, probably because I’m not too crazy about cold foods during winter. And all the beautiful photos of banana breads I’ve been seeing online helped to make the choice too. And when I was about to go researching for a recipe I looked at my note book and remembered a recipe that had the “can be improved” note on it. It was a recipe for fruit packed muffins I had come up with for baby B’s first birthday. And oh did it work wonderfully as the base for this banana bread.

6

The flour I’m using here is spelt, but it would also work with wheat flour. Well spelt is in fact a distant cousin of modern day’s wheat. Spelt is an ancient grain and one of the first to be used for bread. It’s native of Iran and southeastern Europe and references to its use date back 7000 years ago! However and despite being used for centuries, it became less and less popular. So luckily it is a much less processed and transformed grain than common wheat. It’s an excellent source of vitamin B2, a good source of manganese and a source of niacin, thiamine and copper. However it does contain gluten so if you have celiac or other gluten intolerances spelt is not a good option.

Besides the flour and bananas this recipe uses the amazing walnuts and a pear for texture and sweetness (you can substitute the pear with an apple if you don’t have pears hanging around). And even though banana bread is not a Portuguese traditional recipe I still wanted to give it a little Portuguese touch so I’ve used lovely organic mild olive oil and an awesome dark honey form the northeast of Portugal (but of course you can use whatever you have available to you). And may I just add that it disappeared quite quickly, less then 48h from this baby popped out of the oven I was being asked to bake another one!

Ingredients

  • 180gr of spelt flour
  • 2 organic eggs
  • 3 big and ripe bananas
  • 1 pear
  • 3 table spoons of olive oil
  • 3 table spoons of honey
  • 1 handful of walnuts
  • 1 tea spoon of baking powder
  • 1 tea spoon of bicarb
  • 1 coffee spoon of vanilla powder (optional)

Preheat your oven to 180º. Grease and line your tin with parchment paper. Peel one of the bananas, cut it length wise and lay it on the bottom of the tin (see photo).

In a bowl whisk the eggs with the olive oil until slightly fluffy. Whisk in 2 table spoons of honey, 2 bananas mushed, and the pear peeled and grated.

In another bowl mix the flour, baking powder, bicarb, vanilla and walnuts crushed. Make a well in the center and pour in the wet mixture. Gently fold to combine. Pour it in the tin and bake for 40 minutes approximately.

When it’s baked, remove from the tin and smear over 1 table spoon of honey. It’s ready to serve.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s