Bolo de pastinaca e coco / Parsnip and coconut cake

(for the English version please scroll down)

Viajar para outro país e ficar uma, duas ou mesmo três semanas dá-nos uma visão desse lugar, permite dizer que se conheceu esse lugar, permite saber se é sítio de voltar ou não. Mas não é tempo suficiente para aprender o que significa viver nesse lugar, aprender o quotidiano, aprender a rotina. Ficar mais tempo dá para aprender as pequenas coisas, as subtilezas, aquelas coisas menos óbvias mas que são parte integrante daquilo que significa ser de um lugar: a maneira como se utilizam os talheres, a forma como se recebe e se leva um convidado à porta, o conteúdo dos carrinhos de supermercado, quem entra primeiro no elevador, e mil outras coisas pequeninas. Claro que para além das diferenças também se aprendem as semelhanças, aquilo que nos faz sentir que temos todos alguma coisa que nos aproxima.

2

Já ultrapassado um mês e uma semana desta aventura no norte do Canadá é fácil ver essas coisas que aproximam e que afastam. Uma das melhores experiências de descobrir o que temos de comum aconteceu no fim-de-semana passado, quando fomos passear até Edmonton, e no sábado de manhã alegres e contentes fomos ao mercado de produtores de Old Strathcona. Que alegria ver as bancas repletas de produtos: tubérculos, crucíferas, abóboras diversas, mel delicioso, cogumelos selvagens, xarope de ácer, manteiga de ácer (é simplesmente divinal e talvez tenha sido consumida às colheradas furtivas…talvez), farinha moída na semana anterior, etc. Toda uma maravilha e repleto de pessoas alegres nas suas compras. Claro que tudo isto despelotou inspiração culinária! Infelizmente foi tudo consumido demasiado rápido e sem tempo para fotografias, no entanto todas as ideias foram anotadas e bastantes aparecerão aqui no blog nos próximos tempos.

3

Mas este bolinho que vos trago hoje conseguiu escapar ileso, pelo menos até à sessão fotográfica acabar…

O bolo é adaptado desta receita do fantástico blog Green Kitchen Stories, precisamente porque andava a procurar uma receita que utilizasse pastinaca num doce. Para quem não está familiarizado com a pastinaca acho que uma boa descrição do seu sabor é que está a meio caminho entre uma batata-doce e uma cenoura, logo óptimo para bolos.

5

7

A receita original utiliza só pastinaca mas aqui misturo metade pastinaca e metade batata-doce. Como farinha usei espelta e juntei coco porque gosto mesmo muito de coco e resultou lindamente. Para acentuar o coco usei óleo de coco como gordura, mas podem utilizar azeite tal como na receita original.

Não deixem de fazer a cobertura que é muito simples e complementa o bolo na perfeição. Já mostrei aqui como fazer iogurte “escorrido”, é mesmo muito fácil e se utilizarem iogurte grego fica pronto em 2 horas.

Notem que como a cobertura é de iogurte o bolo não aguentará muito se o tempo estiver quente (mas duvido que dure muito tempo de qualquer maneira…). Como alternativa podem fazer a cobertura e servirem separadamente. Assi podem manter a cobertura no frigorífico.

9

Ingredientes

  • 200gr de farinha de espelta
  • 120gr de pastinaca ralada
  • 100gr de batata-doce ralada
  • 1 laranja
  • 50gr de coco ralado
  • 4 ovos biologicos
  • 160ml de xarope de ácer (3/4 de cup)
  • 160ml de óleo de coco (3/4 de cup)
  • 1/2 colher de chá de gengibre em pó
  • 1/2 colher de chá de canela
  • 1/2 colher de chá de baunilha
  • 2 colheres de sopa (rasas) de fermento em pó
  • 1 pitada de sal

Cobertura:

  • 200gr de iogurte escorrido (usei grego escorrido durante 2 horas)
  • 1 colher de sopa de xarope de ácer
  • raspa de 1 laranja
  • raspa de 1/2 limão
  • 1 mão cheia de nozes variadas (usei nozes pecan, pistáchios e amêndoas)
  • 2 colheres de sopa de coco ralado

Pré-aqueçam o forno a 180 graus.Untem uma forma de mais ou menos 22 cm. Batam os ovos com uma vara de arames ou batedeira eléctrica até que estejam esbranquiçados e fofos. Juntem o óleo de coco e o xarope de ácer e misturem. Envolvam a pastinaca, a batata-doce raladas, raspa da laranja e sumo de 1/2. Envolvam o coco, a farinha peneirada, as especiarias e o fermento em pó. Levem ao forno por 40 minutos aproximadamente.

Tostem as nozes no forno por 8-10 minutos. Tostem o coco ralado numa frigideira anti-aderente. Atenção que assim que o coco começa a mudar de cor pode queimar muito rápidamente.

Para a cobertura misturem todos os ingredientes numa tigelinha (excepto as nozes e o coco tostado).

Deixem o bolo arrefecer completamente. Barrem com o creme de iogurte e polvilhem com as nozes picadas e o coco ralado tostado.

 


 

Parsnip and coconut cake

Travelling to another country and stay for one, two or even three weeks will give you an idea of that place, will allow you to say you know the place, will allow you to know if you want to return or not. However it’s not enough time to learn what it means to live in that place, to learn the everyday, to learn the routine. Staying longer lets you learn the little things, the subtle things, those less obvious but yet a part of what it means to be from a place: the way you use the cutlery, the way you walk a guest out, the content of the supermarket carts, who goes in first on the lift, the list is endless. Of course besides the differences one can also learn the similarities, the part that allows us to feel there’s always something to bring us closer.

A month and a week into my adventure in the north of Canada it’s now easy to ascertain those things that bring us close and those that don’t. One of the best experiences finding out similarities happened last weekend when we drove to Edmonton and decided to check Old Strathcona farmer’s market. What a joy to see the display of root veggies, cruciferous, squashes and pumpkins, amazing raw honey, wild mushrooms, maple syrup, maple butter (that I may or may not have eaten eagerly spoonful after spoonful), flour grounded the week before, etc. What a wonderful, vibrant market packed with people happily doing their shopping. Of course all of this triggered my cooking inspiration! Sadly all was eaten far too quickly with no time for photos, but not all is lost because all ideas were written down and will find their way to the blog soon.

6

Gladly this cake survived untouched, at least until the end of the photo shoot…

It’s adapted from this recipe of the amazing Green Kitchen Stories blog, precisely because I was looking for a recipe that used parsnip in a sweet treat. For the ones not too familiar with parsnips (in Portugal they are still quite uncommon) they taste like a cross between a sweet-potato and a carrot, perfect for cakes!

The original recipe uses only parsnip but I mixed half parsnip and half sweet-potato. I’ve used spelt flour and added coconut, simply because I love coconut but it turned out great. To continue the coconut theme I used coconut oil as the fat but feel free to go for olive oil as the original recipe.

Do make the topping that is so simple to put together and complements the cake beautifully. I’ve shown here how to make strain yogurt, it is easy and if you use greek yogurt in around 2 hours it will be ok to use.

Please note that since the topping uses yogurt you might have to be careful if the weather is too hot. As an alternative you can keep the topping on a bowl on the fridge and serve it as a cream on the side with a sprinkle of the nuts and toasted coconut.

8

Ingredients

  • 200gr of spelt flour
  • 120gr of grated parsnip
  • 100gr of grated sweet-potato
  • 1 orange
  • 50gr of shredded unsweetened coconut
  • 4 organic eggs
  • 160 ml (3/4 cup) maple syrup
  • 160 ml (3/4) coconut oil
  • ½ tsp of ginger powder
  • ½ tsp of cinnamon
  • ½ tsp of vanilla
  • 1 tbsp of baking powder
  • 1 pinch of salt

Topping

  • 200gr strained yogurt (I’ve used greek yogurt strained for 2 hours)
  • 1 tbsp of maple syrup
  • Zest of 1 orange
  • Zest of ½ lemon
  • 1 handful of mixed nuts (I’ve used pecan, pistachios and almonds)
  • 2 tbsp of shredded unsweetened coconut

Preheat your oven to 180. Grease and line a round cake tin with 20-22 cm. Whisk your eggs by hand or with an electric hand mixer until pale and fluffy. Whisk in the coconut oil and the maple syrup. Fold in the parsnip, sweet-potato, zest of the orange and juice of half the orange. Fold in the coconut, the flour, spices and baking powder. Bake for about 40 minutes.

Toast the nuts in the oven for 8-10 minutes. Toast the coconut in a dry non-stick frying pan. Keep an eye on the coconut because  it burns quickly as soon as it changes color.

Mix all the ingredients for the topping (except the nuts and toasted coconut) in a bowl.

Allow the cake to cool completely before smearing the yogurt cream. Sprinkle with the toasted nuts and coconut.

 

Advertisements

4 thoughts on “Bolo de pastinaca e coco / Parsnip and coconut cake

  1. Estou a ver que essa aventura está a ser perfeita!
    E esse mercado deve ser fabuloso, a par da manteiga de ácer que me deixou já curiosa.
    Olha nós, as duas Inês, em sintonia com as pastinacas e os bolinhos!
    Adoro bolinhos com pastinaca, e o teu ficou tão mas tão lindo.
    Um beijinho.

    Like

    1. Querida Inês, fiquei fã da pastinaca em bolos, é que fica mesmo óptima 🙂
      A aventura está a ser muito boa sim, mas também me faz ver o quanto Portugal é um cantinho abençoado do mundo, principalmente para quem gosta de comidinhas e produtos frescos. Ando com umas saudades do mercado do Campo Pequeno que nem te digo!
      Ui, a manteiga de ácer é um perigo…imagina o sabor do xarope de ácer, mas mais cremoso, quase fudgy…perigosamente delicioso.
      Muito obrigada pelos teus comentários sempre tão amáveis.
      beijinhos

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s